O treinamento de subida e descida de escadas é muito utilizado na prática esportiva visando melhora da força muscular, cardiovascular e para aumento de queima calórica.

Esse tipo de treino já é utilizado a décadas, porém poucos se atentam as consequências negativas que ele pode proporcionar nas articulações do corpo, mais especificamente na articulação patelofemoral (entre o osso da patela e do fêmur).

Quando falamos da articulação patelofemoral, estamos nos referindo a uma articulação que representa até 40% de todos os problemas nos joelhos tratados em centros especializados ao redor do mundo (WITVROUW et al, 2013).

A subida e descida de escadas proporciona aumento da pressão na cartilagem atrás da patela, levando a um desgaste precoce. Isso acontece não apenas nas escadas mais em qualquer outro exercício físico com descarga de peso que exija um aumento na flexão do joelho acima dos 45º de amplitude, como o agachamento profundo até o chão.

Dicas para quem queira continuar com esse tipo de treinamento:

  • Fortalecer os músculos do glúteo, eles são os principais estabilizadores do joelho (Lucarelli et al, 2010).
  • Projetar o tronco para frente no momento do exercício, essa posição faz com que a sobrecarga na articulação patelofemoral seja reduzida (Nakagawa et al, 2012).