A mobilidade dos tecidos do corpo (músculos, tendões, entre outros) é prejudicada após alguma lesão, seja ela cirúrgica ou não. O intuito da reabilitação física é reestabelecer a artrocinemática, ou seja, restaurar o movimento do membro afetado, visto que a redução da amplitude de movimento frequentemente limita o processa de cura tecidual.

Hoje, existem diversas formas para melhorar a mobilidade desses tecidos, entre elas o alongamento muscular.

Normalmente utilizado desde a reabilitação até a prática esportiva, o alongamento muscular pode ser realizado de diversas formas e em ambientes diferentes como na água e no solo.

O alongamento muscular na água

A piscina aquecida entre 32º a 35º C proporciona maior extensibilidade do tecido, dessa forma facilitando o aumento de flexibilidade. Sendo essa a principal vantagem do alongamento realizado na piscina.

O alongamento realizado no solo

Tem os mesmos princípios do realizado na piscina sem o efeito da temperatura. A vantagem do alongamento em solo, se dá pela facilidade de ser realizado em diversos locais, desde clínicas de fisioterapia até academias, parques e pistas de corrida.

É importante ressaltar que alongamento muscular é uma prática muito comum na prática esportiva antes e, muitas vezes, depois das atividades físicas. Hoje em dia já se sabe que o alongamento muscular não previne lesão se feito antes do treinamento com regularidade.

A musculatura requer um trabalho intenso de aquecimento antes do treinamento, como por exemplo uma corrida na esteira de 10 minutos antes do treino de musculação.

Por sua vez, o alongamento muscular imediatamente após um treino de hipertrofia também não é indicado, podendo causar danos à fibra muscular trabalhada naquele treino específico.

Indicação do alongamento muscular

O alongamento é indicado em dias separados das outras atividades para complementar a preparação do indivíduo. Uma boa flexibilidade é muito importante para que o músculo desempenhe sua função normalmente. O músculo muito encurtado ou muito alongado perde a capacidade de contração, dessa forma prejudicando o desempenho durante as funções nas atividades físicas.

Porém se associado ao mesmo dia a outros treinos, como musculação por exemplo, pode se tornar lesivo a médio e a longo prazo, por agredir a fibra muscular que por si só já sofreu alterações decorrentes do trabalho de hipertrofia (aumento de força muscular).

O alongamento muscular e a as articulações

Hoje a literatura científica é muito clara e objetiva para problemas articulares como coluna e joelhos. Em sua maior parte, as lesões articulares são causadas por processos de instabilidades, ou seja, a musculatura ao redor daquela articulação se torna fraca e/ou inibida fazendo com que a lesão articular aumente progressivamente. Com isso, o melhor a se fazer é o fortalecimento muscular com o objetivo de melhorar a estabilidade daquele seguimento afetado.

Contraindicações do alongamento muscular

O alongamento muscular é contra indicado em casos de lesões musculares. No momento em que a fibra do músculo se desgasta, o principal a fazer é o repouso e deixar de lado a atividade física para que o músculo possa cicatrizar corretamente. O alongamento não é bem-vindo pois não permite que o músculo se aproxime novamente, então alongar em cima da lesão afasta uma borda do músculo da outra, atrasando o processo que normalmente ocorre de 4 a 8 semanas dependendo do grau da lesão.

Por fim, o alongamento muscular tem suas indicações específicas, porém cada vez mais sua indicação vem sendo questionada. O importante disso é sempre procurar um profissional capacitado para sanar todas as dúvidas antes de sair fazendo alongamento ou fortalecendo qualquer grupamento muscular, seja ele fisioterapeuta ou educador físico.